Supervalorização: não transforme o seu filho em um gênio mirim

Você provavelmente já ouviu uma mãe orgulhosa dizer “como o Joãozinho é inteligente” ou “como o Pedrinho aprende rápido e tira as melhores notas”. Qualquer mãe apaixonada pelo seu filho está propensa a cair na onda da supervalorização, que é quando os pais estimulam demais as crianças e transformam os pequenos em gênios e sabe-tudo.

 

No começo, pode parecer positivo valorizar a capacidade dos filhos, porém, esta valorização exagerada pode trazer consequências negativas para o psicológico da criança. Quanto mais os pais falam e exibem a criança, mais o pequeno passa a formar uma autoimagem de super capacidade e, quando as fraquezas aparecem, a criança não sabe como lidar com as próprias dificuldades.

 

Com a supervalorização, as crianças percebem o quanto é positivo ser bajulado desde pequeno e, esta situação pode fazer com que os pequenos desenvolvam distúrbios psicológicos que podem permanecer durante a fase adulta. Além de não aceitar os próprios defeitos, muitas crianças tentam proteger a imagem construída pelos pais através de mecanismos de defesa que tentam esconder qualquer tipo de fraqueza pessoal.

 

Dificuldade em aceitar fraquezas
Uma criança que ouve desde pequena que é um “gênio”, que aprende muito rápido, que não tem dificuldade nenhuma e se destaca em tudo que faz, provavelmente vai levar um choque pessoal quando descobrir que não é bem assim. Quando esta mesma criança começa a ter dificuldade em alguma matéria na escola, por exemplo, começa a ser difícil aceitar que não é boa em tudo, o que causa um grave problema em lidar com as próprias fraquezas.

 

A supervalorização faz com que os pequenos não aceitem que possuem defeitos ou que possam ter determinadas dificuldades. Essa falta de capacidade de aceitação própria produz resultados negativos, pois o pequeno passa a desenvolver técnicas para esconder os defeitos e manter a imagem para os pais, professores e todas as pessoas ao redor.

 

Mecanismos de defesas
Um dos mecanismos de defesa mais desenvolvidos pelas crianças valorizadas demais é a mentira. Para manter a qualquer custo a imagem de inteligente criada pelos pais, o pequeno passa a inventar feitos que não fez e tende a continuar com autovalorização. Mesmo que o pequeno não tire boas notas, por exemplo, uma ou outra mentira podem ser suficientes para a criança manter a imagem de destaque com relação aos outros da mesma idade.

 

Quando este comportamento continua durante a fase adulta, a criança supervalorizada passa a ser um mentiroso profissional, pois o comportamento continua aparecendo em todas as fases da vida. Quando adulto, a pessoa pode viver a base de mentiras, sempre tentando mostrar aos outros que pode tudo e é o melhor. Obviamente, este comportamento não ocorre com todo mundo, mas é muito comum que crianças elogiadas demais desenvolvam desvios de comportamento no futuro.

 

Valorize sempre o esforço da criança
O mais aconselhável por qualquer psicólogo é que os pais saibam incentivar e parabenizar a criança principalmente pelo esforço, mais do que pelo resultado. Os pequenos devem aprender que o esforço é a base para qualquer conquista na vida e que as derrotas também fazem parte do caminho e é preciso aceitar as próprias dificuldades.

 

Valorizar as crianças pelos resultados obtidos e pelo esforço é sempre importante, porém, é preciso ter cuidado para não transformar o pequeno em uma criança prodígio. O peso de ser “melhor que os outros” pode custar muito caro na mente infantil, além de fazer com que a criança tenha dificuldade para enxergar a realidade.

 

A Zastras é o seu maior aliado nessa tarefa!

Temos uma seleção de brinquedos, livros e jogos que desenvolvem gradualmente as habilidades infantis sem apressar nada. Assim a criança aprende naturalmente enquanto brinca!

 

Fonte: Dicas Pais e Filhos