Brincar sozinho também é importante!

Saiba como e porque incentivar seu filho a brincar sozinho em alguns momentos

Nem sempre é fácil reagir a um pedido como esse: “Mamãe, brinca comigo?” ou “Papai, vamos brincar?”. É comum que mães e pais fiquem divididos entre suas tarefas diárias e o seu desejo de compartilhar momentos especiais brincando com os filhos. A boa notícia é que, embora brincar interagindo com os pais e outras crianças seja importante, brincar sozinho também é bom para os pequenos.

Os momentos de diversão entre pais e filhos fortalecem os vínculos afetivos, mas por outro lado é essencial saber dar espaço para a criança brincar, se divertir e aprender por conta própria. Isso é um marco importante no desenvolvimento dos filhos e, como bônus, os pais ganham alguns minutos para si mesmos!

Os benefícios de brincar sozinho

Os primeiros meses com um bebê exigem muito dos seus responsáveis. São horas ninando, cuidando, cantando, jogando e até rolando no chão com os pequenos. Brincar com os pais é comprovadamente positivo para o desenvolvimento infantil: neurocientistas comprovaram que a interação da criança com o adulto gera sentimentos de segurança e prazer, fatores imprescindíveis para a saúde mental.

Porém, com o tempo, a criança também deve ser estimulada a se divertir sozinha em certos momentos. Isso trará diversos benefícios para o seu desenvolvimento e também para os pais.

Veja abaixo algumas dos principais motivos para incentivar o seu filho a brincar sozinho:

Incentiva a imaginação

As crianças são naturalmente criativas e têm uma imaginação super potente. Quando adultos participam das brincadeiras, às vezes acabam tomando as rédeas e guiando a criança, interferindo sem querer no protagonismo dela.

Brincando sozinho, o pequeno estará mais livre para imaginar, inventar histórias, conversas, e criar mundos por conta própria. Nesse outro artigo, demos dicas de como incentivar a criatividade e a imaginação através de brincadeiras inspiradas em livros.

Desenvolve independência social

Ser capaz de brincar sozinho é uma das primeiras formas de independência que a criança pode adquirir. Assim, ela não precisará de adultos ou de coleguinhas o tempo todo, e essa independência social é importante para se sentir confortável em outras situações no futuro.

À medida que os filhos crescem, eles entendem que nem sempre terão alguém ao seu lado a cada momento, por isso é importante ter a noção de que não dependem de ninguém para se divertir. Isso faz com que sejam indivíduos mais confiantes e satisfeitos.

Traz calma e diminui a agitação

Muitas vezes, brincar em grupo deixa as crianças agitadas por conta de todas as interações envolvidas.  Brincar sozinho, por outro lado, tende a fazer com que os pequenos se divirtam de forma mais tranquila com seus brinquedos.

Diversas brincadeiras tradicionais e jogos que são bons para se divertir sozinho desenvolvem a concentração, como blocos de construção por exemplo, o que contribui para acalmar a criança.

Prepara a criança para a escola

Antes de o filho entrar na escola, os pais são seus companheiros preferidos para brincar.

Quando os responsáveis recuam e mostram que também é legal brincar sozinho, a criança entende que nem sempre os seus responsáveis estarão junto com ela.

Isso é importante para quando o pequeno começar a frequentar a escola. Crianças que estão mais acostumadas a brincar sozinhas tendem a enfrentar melhor novas situações longe da companhia dos pais, e podem se sentir mais tranquilas em uma nova experiência como a escola.

Garante mais tempo livre para os pais

Todo mundo merece tempo para si, incluindo mães e pais. Outra vantagem de ensinar o filho a brincar sozinho é que os adultos ganham uma pausa muito necessária. Com isso, finalmente os pais serão capazes de fazer pequenas tarefas, como tirar a roupa da máquina ou até escovar os dentes, sem ter que pedir que outro adulto cuide de seu filho naqueles minutos.

Este não é o objetivo principal, é claro, mas o tempo que os pais passam sozinhos também é um bom exemplo para as crianças. Os filhos podem ver que a mãe ou pai gostam de fazer as coisas que amam sozinhos e que não precisam da atenção de outra pessoa para isso.

Parte superior do formulário

Parte inferior do formulário

Dicas para incentivar a criança a brincar sozinha

Todas as crianças nascem com a capacidade e a vontade de exercitar a sua imaginação. Os pequenos criam verdadeiros mundos quando brincam, onde são super-heróis, alienígenas, monstros e princesas. De diversas formas, a nossa sociedade lentamente priva as crianças desse tipo de experiências. Especialmente privilegiando o tempo de atividades guiadas e educativas, normalmente guiadas por adultos.

Então, seguem aqui algumas dicas para cultivar as brincadeiras independentes e a capacidade do seu pequeno de se entreter por conta própria, com a sua imaginação e criatividade:

  1. Brinquedo é tudo aquilo com que se pode brincar

A regra geral básica é: brinquedos passivos incentivam brincadeiras ativas. Isso é defendido pela especialista em educação Magda Gerber, criadora do método RIE de criação dos filhos, que valoriza a autonomia e a independência da criança.

Quando expomos as crianças a brinquedos que as entretêm com o apertar de um botão, a parte criativa de seu cérebro não é alimentada. Por isso, a criatividade se desenvolve menos.

Substituir brinquedos tecnológicos com funções únicas por objetos que podem ser usados de diferentes formas incentiva a resolução de problemas. Além disso, encoraja as crianças a usarem a imaginação, deixando-as livres para controlar o jogo.

  1. Deixe o espaço de brincadeira livre de telas

É claro que a tecnologia é essencial para a vida do século XXI, mas a presença de telas pode desestimular brincadeiras ativas. Especialmente quando uma TV está ligada no fundo, ou um videogame está disponível logo ali. Por isso é uma boa ideia deixar os tablets e outros dispositivos para outra hora, em outro local.

  1. Crie um espaço onde eles possam ficar sozinhos

Certifique-se de que o espaço para brincadeiras é seguro para a criança ficar sem ser supervisionada o tempo todo. Se o adulto ficar observando para o pequeno não se machucar, vai interromper e atrapalhar a brincadeira. Um espaço seguro também permitirá que a brincadeira flua. Assim, o responsável pode aproveitar o tempo para fazer suas próprias tarefas ou descansar sem se preocupar tanto.

  1. Ofereça brinquedos que que não demandem ajuda

Se os brinquedos forem muito grandes ou complicados demais para o seu filho brincar sozinho, ele ficará pedindo ajuda. Então, quando você vier e o ajudar, a ideia de que ele não consegue fazer isso sozinho será reforçada.

Certifique-se de que a criança tenha acesso a brinquedos apropriados para a idade dela para poder brincar de forma independente.

  1. Não elogie, comente ou avalie

O adulto pode achar que elogios incentivam a criança a continuar na brincadeira, mas na verdade acabam causando inibição. Se você disser a seu filho “Você brincando muito bem”, isso pode diminuir o interesse dele ao invés de ajudá-lo. Não precisa o recompensar e, claro, nunca castigar se ele não brincar. Brincar é uma habilidade inata que as crianças têm, e você só precisa permitir que isso aconteça.

Portanto, brincar sozinho é uma oportunidade de descoberta da independência. O pesquisador e educador Peter Gray, autor de livros sobre o direito de brincar livremente, defende que as crianças têm seus momentos mais felizes quando estão imersas em brincadeiras, sozinhas, sim ninguém as observando ou avaliando.

De um modo geral, a avaliação e o monitoramento do adultos inibem o interesse e a satisfação intrínsecos das crianças. Então, quando seu filho está imerso em alguma coisa, não interrompa a não ser que seja necessário. O que ele ganha quando está brincando sozinho é a curiosidade, a autonomia, e a habilidade e de resolver problemas.

A Zastras tem brinquedos que estimulam o brincar!

O essencial é que as crianças brinquem, explorem e divirtam-se, seja sozinha ou com os pais, na Zastras você encontra uma seleção de brinquedos, livros e jogos infantis, de acordo com a faixa etária e que proporciona o desenvolvimento das habilidades fundamentais no período de sua infância! Venha conferir

Fonte: Dentro da História